Hilda
Orquídeas

Hilda Roxo

Deusa ou Mulher!

Hilda Roxo - nasceu em Valença - Estado do Rio de Janeiro.
Foi criada na religião católica, mas desde pequena recebia comunicação de Espíritos. Estes revelaram-na muito cedo, que teria que fundar a Irmandade Espiritual Estrela D'Alva. S.S.Wandú - Mago nº 1, orientou, dirigiu e transmitiu a liturgia e tudo o que era preciso ser feito na Obra em geral.
Nunca havia ouvido falar em fenômenos espirituais e nenhum contato teve com loja ou centro, ou aprendeu o que quer que fosse de outros lugares. O único Centro que esteve rapidamente, foi o Fé e Caridade em Jacarepaguá, dirigido pelo Sr. Manoel, e tendo antes de ir lá, recebido aos dois anos de idade a visita dos Mestres Espirituais.
Aos 10 anos, trabalhou no Centro Rita de Cássia, à rua Oliveira Fausto, em Botafogo, dirigido pelo Sr. João - reuniões de Mesa e estudos.
Aos 15 anos, casou-se com Luiz Roxo, e dessa união teve um menino chamado Mauricio que morreu dois dias depois do batizado.
Aos 17 anos fundou a Escola de Iniciação Santidade Ana Maria e fora bailarina até os 28 anos.
Aos 18 anos, fundou o Templo do Sol e preparou a Irmandade.
Formou-se professora e jornalista aos 23 anos de idade.
Em filosofia aos 26.
Aos 27 anos foi quando o Uno Superior concedeu-lhe algumas pequenas regalias, isto é, depois de um trabalho muito árduo e grande dedicação.
Aos 33 anos recebeu o titulo de DEUSA SOLAR pelas caminhadas no Brasil e estrangeiro em serviço de abstinência e renúncia, e por ultimo, recebera o Titulo de REVMA. MALY HILDA - Revma. quer dizer: digno de ser reverenciado e MALY - Deusa do Amor e da compaixão.
Formou-se em Psicologia e Professora de Ginástica aos 38 anos, e entre um estudo e outro, praticava esportes como alpinismo, salto, corrida, tiro ao alvo e equitação.
Usou uniforme para dar exemplo de "disciplina" (que os Mestres exigem dos sacerdotes, fator primordial aos Retornos para sua libertação). Gostava de dançar, de caminhar em estradas desertas ao luar, de olhar o mar e as montanhas, de musica, de pintura, de arte em geral, de pessoas simples, educadas e amorosas, de orquídeas, da cor lilás, de crianças, de amigos e amigas, de costurar, de cozinhar e idolatrava o Amor.
Amava a Deus, aos Santos, aos Guias, às religiões e à humanidade. Cria no Amor e na Vida Eterna, e sua maior felicidade, era saber que reuniu um grupo para rezar e, em conjunto, passar horas, dias, meses e anos de genuflexão e adoração a Deus. Foi através de sua mediunidade, feito muitas curas de corpo e de alma, verificadas por este trabalho incansável. E também através da incorporação de seus Iluminados Mestres, muitos ensinamentos deixados neste Planeta Terra.
Um verdadeiro exemplo de humildade, coragem e abnegação no encaminhamento e combate às imperfeições humanas. Durante 15 anos, manteve hospital para doenças físicas, psíquicas e mentais em Guapimirim, Estado do Rio de Janeiro.
Seus estudos e ensinamentos são misturados com Psicologia, para a qual criou a Arvore da Vida, síntese do soerguimento do homem matéria para o homem Espírito.
Como escritora, seu primeiro livro foi Ânsia, lançado na Argentina, produto de suas primeiras desilusões da vida. Deu ao publico 20 obras literárias, filosóficas e didáticas entre elas Maria do Céu, sua autobiografia e Minha vida mediúnica, onde descreve sua vida desde seu nascimento, quando tudo era dificílimo , principalmente para as Mulheres.
No cinema fez vários filmes, sendo o mais conhecido "A moreninha". Além de ser escritora e atuar no rádio, fez várias peças de teatro. Teve atelieres, e era considerada grande modelista.
Sua sensibilidade musical, está imortalizada em mais ou menos 400 musicas, sendo diversas editadas e vendidas, que até nos dias de hoje fazem grande sucesso.
Considerada e constatada grande dona de casa, criou aproximadamente 30 crianças, seus filhos adotivos. Arquiteta nata, além de fundar a Irmandade, construiu todas as dependências e doou de seus ganhos como alta costura, poetisa, jornalista, escritora, compositora, professora, etc...
De todas as lutas, adviram 5 prisões. Mas por fim, Ela conseguiu com o Presidente da Republica Excelentíssimo Sr. Getulio Vargas, a "Liberdade de Culto" no Brasil.
Um dia grandioso, é o 3 de setembro - seu aniversário, mês em que homenageamos a Mulher Hilda Roxo como poetisa, compositora, escritora...
Nesses 72 anos, vemos um passado de realizações, digno de ser apresentado como uma vida marcada de êxito e, vale a pena viver, e reviver estes fatos! E observando as lutas e Glorias pelo trabalho estafante e grandioso que fez no soerguimento de milhares de pessoas, externados com problemas de toda natureza, famintos do céu, ou abatidos por doenças impertinentes que desafiam o saber e a boa vontade dos médicos que dão como incuráveis corpos combalidos, chegavam humilíssimos ao grande missionário que tinha sempre um sorriso, uma palavra de esperança, um gesto que envolvia em fascinante ternura.
Este era o trabalho de Hilda Roxo, entre muitos que realizou, porque diferentes eram os estados de alma e de corpo que chegavam no seu caminho que era uma reunião de muitas estradas, desde a fascinante mediunidade com autênticos Deuses em serviço na Terra, como a maravilhosa estrada da Poesia ou da literatura, da Doutrinação e por onde enveredasse o seu gênio criador, teve sempre como lema a ajuda ao próximo, a compaixão e exaltação do Amor, e a pregação apaixonada convidando ao País da Alma. Médium que nunca perdeu uma oportunidade para louvar os Espíritos, e que anos e anos seguidos, realizou humildemente o seu trabalho mostrando o cumprimento do dever e sempre pronta a ajudar.
Missionária, pelo exemplo de Coragem, Resignação, Fé, Trabalho e capacidade de suportar a adversidade, como testemunho Maximo de sua crença. Artista, que não só na alegria, mas nos momentos mais doridos, foi a própria imagem da Poesia.
Mulher, que teve a capacidade de ser Médium, Missionária, Jornalista, Professora, Poetisa, Escritora, Musicista, Psicóloga e Dona de Casa, num perfeito equilíbrio e harmonia, dividindo-se, para poder reunir-se numa só palavra que pode ser: Deusa ou Mulher!

08 DE JULHO DE 1972

Manhã de 8 de julho de 1972, na residência de Revma. Maly Hilda, estavam presentes Dr. Bity seu esposo, o Presidente da Ieed Sacerdote Yutyi Américo, a Diretora de Artes Zoritz Arlete, o Sacerdote de Renuncia Adonis Mario Olívio e a Sacerdotisa Mirian Ednir que A serviu por muitos e muitos anos. Reverenda Ozíris Zilda e o Reverendo Mariox José Expedito seus guardiões, ao chegarem , constataram que a Bem Amada Hilda, já não sofria mais.
Posteriormente, com a chegada do Dr. Ercílio, seu medico assistente e amigo de muitos anos, confirmou o óbito e providenciou todos os documentos necessários dentro das exigências das Leis da terra.
Maquilagem completa, peruca longa e bem bonita, seu corpo envolto em 7m de gaze lilás (sua cor predileta) emoldurava a perfeição de suas formas. Foi colocado seu perfume predileto – Diorissimo e uma orquidea na mão.
Enquanto era preparado seu corpo, na vitrola ouvia-se La Cumpasita e Solos de Violão, conforme seu desejo. Eram 13h e 30m quando o corpo da Amada chegou na Ieed da Tijuca, no Templo Sacerdotal, que foi preparado para receber o corpo Daquela que lhe deu vida.

09 DE JULHO DE 1972

Manhã de 9 de Julho de 1972 – domingo nublado, a urna segue para o Templo do Sol em Guapimirim para a realização do ritual de sepultamento. O cortejo saiu com a guarda de honra à frente, seguida da urna, familiares, todos os componentes da administração da Obra, assistentes e amigos em direção ao Repouso Ieed, onde seu corpo ia descansar no local por Ela pré-determinado. Tentamos cantar "Adeus, Adeus, Adeus! Cinco letras que choram!..." mas nossas vozes se misturavam às lagrimas.
O violino voltou a tocar La Cumparsita, enquanto a urna descia lentamente à sepultura. Deixamos lá, o corpo daquela que foi amiga, mãe, irmã e mestra.
Por todos esses anos no mês de Julho, em romaria ao Repouso Ieed, nos colocamos junto ao Seu tumulo para homenagens a sua arte, doçura, carinho, belezas do Céu, manancial de ensinamentos que deixou para a eternidade, num testemunho de Gratidão.

Por fim...

Em agosto, mês dedicado à Mediunidade, nós seus filhos , afilhados e seguidores da doutrina deixada por Ela, a homenageamos e a reverenciamos pelos frutos deixados, da Obra que fundou e da Sua mediunidade.
No mês de setembro, também a homenageamos pelas mensagens encantadas pela pena flutuante de Escritora, como compositora exímia em violão, pelos belos acordes maviosos transcendentais dos poemas e versos através do Cântico de sua Alma.
Ela que fora professora, bailarina, artista, cantora e compositora, calou apenas a sua voz na Terra, porque a voz do Céu continuará por todo sempre. Nós, seus seguidores e seus Amores zelaremos por sua memória com devoção, harmonia, muitas saudades e perdão.

:: copyright 2010 © hildaroxo.org :: todos os direitos reservados :: desenvolvido por roberta campos ::